Em uma época em que quase tudo é digital, os meios de entretenimento e cultura ganharam outras formas. Hoje as plataformas de streaming são uma das principais formas de consumirmos filmes. A Netflix, inclusive, já concorreu – e ganhou – Oscar com produções originais.

Ainda assim, há um nicho de espectadores que nunca morre: os cinéfilos colecionadores, que podem aproveitar da comodidade do online, mas não abrem mão de adquirir, fisicamente, suas obras clássicas e seus diretores prediletos.

Pensando neste mercado, surgiu a startup Rosebud. Com o nome inspirado justamente em um dos maiores clássicos da história do cinema, Cidadão Kane, a startup promete entregar a amantes do cinema uma experiência que vai além do download: um clube de assinatura para os amantes da sétima arte.

A empresa surgiu a partir da vontade de três estudantes de cinema –
Gleisson Dias, Gabriel Prado e Matheus Queiroz – em promover conhecimento sobre o assunto. “Nós tínhamos essa vontade, mas não sabíamos por onde começar. Foi quando percebemos o crescimento no número de clubes de assinatura e não encontramos nenhum voltado para a área. Então decidimos desenvolver um clube de cinema com o objetivo de criar uma nova experiência cinematográfica, apresentar novas cinematografias e novos olhares sobre o cinema”, explica Gleisson.

A jornada da empresa começou em janeiro de 2018, quando os estudantes foram incubados no Instituto Gênesis da PUC-Rio. Desde então, a startup se preparou por 11 meses para colocar o produto no ar. “Nesse período, nós entramos em contato e fechamos parcerias com distribuidoras e profissionais da área, estudamos o funcionamento dos clubes de assinatura, elaboramos a nossa plataforma e a rede social exclusiva para membros”, explica o cofundador.

A Rosebud entra agora em seu quinto mês de atividade, atendendo hoje mais de uma centena de assinantes em todo o País. De acordo com os fundadores, o objetivo agora é solidificar a base de assinantes e ramificar os campos de atuação do clube de assinatura.

Caixinha do mês de dezembro entregue aos assinantes da Rosebud

Atualmente está disponível no site o plano de assinatura mensal para todo o Brasil, com frete grátis para São Paulo e Rio de Janeiro. Por R$99,90 por mês, os assinantes recebem, uma vez por mês, uma caixa temática com pelo menos 2 filmes em DVD, uma revista com conteúdo sobre o tema das obras, pôster, alguns itens cinéfilos e um snack para completar a sessão.

Em breve, também haverá a opção de compras de caixas avulsas de kits passados, além de uma loja virtual para venda de itens exclusivos da Rosebud, como canecas personalizadas, fotolivros, camisas e pôsteres.

Quanto aos temas das caixas mensais, a equipe da startup realiza uma curadoria com temas a serem explorados, e convida profissionais da área, teóricos ou professores de cinema para ajudar na escolha dos filmes a serem enviados. “Além da curadoria, os colaboradores auxiliam no repasse do conhecimento sobre o tema para os nossos assinantes através de um masterclass exclusivo”, explica Gleisson.

Além do masterclass com um especialista, os assinantes também participam de uma rede social exclusiva do clube de assinaturas, em que os cinéfilos podem debater sobre os filmes do mês e também sobre a aula temática.

“O nosso objetivo é fazer com que os membros tenham acesso a cinematografias diferentes e a novos olhares sobre a sétima arte. Além disso, buscamos alinhar entretenimento com educação sobre cinema para que os assinantes possam aprender mais a cada Box, por isso nossos temas abordam movimentos cinematográficos, gêneros e diretores conceituados, sempre acompanhado de muita informação”, completa o cofundador.

Para mais detalhes sobre a Rosebud, acesse aqui.

Publicação Original


Deixe uma resposta