Por: Jaziel Pavine de Lima

ANTES DE COMEÇARMOS…

Antes de falarmos quais são as principais fontes de investimentos e como podemos adquiri-las, vale fazermos uma reflexão para podermos entender que o investimento de capital financeiro é um meio e não um fim.

O dinheiro é a moeda de troca das relações comerciais e o principal meio pelo qual adquirimos produtos, serviços ou experiências. Por isso, a busca por uma fonte de investimento é uma via de mão dupla. Buscamos o capital para aplicar em algo com o objetivo de gerar um retorno, ou seja, o capital irá proporcionar o desenvolvimento de alguma atividade para gerar algum resultado.

Mas como podemos saber se o retorno gerado pelo investimento adquirido é bom ou ruim? E será que realmente compensa receber esse investimento de capital? Nós sugerimos que o empresário faça uma análise criteriosa dos pontos que trataremos a seguir, antes de buscar uma fonte de investimento de capital.

AS PRINCIPAIS FONTES DE INVESTIMENTOS DE CAPITAL PODEM SER DIVIDIDAS EM 4 GRUPOS:

Fontes para a fase inicial de um negócio (ideia), normalmente startups;
Fontes de capital próprio (Bootstrapping) ou subsidiado (por terceiros ou pela operação da empresa);
Fontes com participação societária, normalmente os fundos ou estratégicos;
E as fontes com capital oneroso, sendo esses, normalmente, os empréstimos e financiamentos com bancos.

PRINCIPAIS FONTES DE INVESTIMENTO PARA A FASE INICIAL DE UM NEGÓCIO:

– SEED CAPITAL
O capital semente (em inglês: Seed Capital) tem como base em seu nome uma ideia no estágio inicial que planta uma semente para permitir que a pequena empresa cresça. Esta é a primeira rodada de capital para um negócio de startup. Neste caso, o empresário deve estar comprometido e entusiasmado a busca de dinheiro semente, uma vez que o mesmo tem pouco mais para atrair investidores.

Por ser quase impossível prever o sucesso do projeto, os únicos investidores com probabilidade de investir no novo negócio são aqueles que respeitam o julgamento e as habilidades do empresário, sendo essas pessoas as que conhecem melhor o empresário.
Os investidores sementes esperam participar do sucesso do empresário e realizar um retorno saudável, pois seu investimento se valoriza ao longo do tempo. No entanto, o capital inicial é um investimento arriscado e a maioria dos investidores sabe disso, ou pelo menos deveria.

– ACELERADORAS
As aceleradoras recrutam e selecionam empresas em fase inicial e orientadas para o crescimento. Além de recurso financeiro, elas também oferecem educação e mentoria.
As startups entram nas aceleradoras por um período de tempo fixo. O processo de aceleração é de educação intensa, rápida e imersiva, destinada a acelerar o ciclo de vida das novas empresas inovadoras, reduzindo, desta forma, anos de aprendizado para poucos meses.

PRINCIPAIS FONTES DE INVESTIMENTO COM CAPITAL PRÓPRIO (BOOTSTRAPPING) OU SUBSIDIADO (POR TERCEIROS OU PELA OPERAÇÃO DA EMPRESA):

– CAPITAL PRÓPRIO (BOOTSTRAPPING)
Recursos próprios do empresário.
Bootstrapping vem da expressão em inglês “apertar a fivela das botas”. O capital próprio consiste em um conjunto de ações e estratégicas para iniciar um negócio sem utilizar capital oneroso, ou seja, sem ajuda financeira externa.
Ex.: Finanças pessoais, subsídios ou até mesmo das receitas operacionais da própria empresa.

– FFF OU 3 F’S (FAMILY, FRIENDS AND FOOLS)
Familiares, amigos e tolos.
Ao lançar uma ideia, os familiares, amigos e os tolos são as pessoas a quem conversar primeiro. Menos de 1% das startups aumentam o capital de risco para que os 3 F’s sejam importantes.
Confiar em amigos que estão dispostos a investir em você e em sua família, e que se sentem obrigados a investir em você é uma ótima maneira de começar. É por isso que os empresários passam muito tempo cultivando sua rede social, afinal, você nunca sabe quem pode ser um potencial financiador para sua ideia.

Muitos empresários abordam sua família, amigos e colegas para ganhar dinheiro depois de esgotar suas próprias finanças. Uma vez que esses investidores conhecem o empresário, eles são mais propensos a assumir o risco de financiar um novo empreendimento do que fontes de financiamento tradicionais, como, por exemplo, bancos ou empresas de capital de risco.

– CAPITAL SUBSIDIADO (SUBVENÇÃO)
São fontes de recursos que disponibilizam capital ao empresário e que não tem o compromisso de devolver no futuro, oferecendo algo em troca para a sociedade. O empresário tem o compromisso de realizar o projeto e atingir os objetivos previamente acordados.

Principais fontes com subsídio:

– Fundações de grandes causas específicas;
– Governos;
– Fundos soberanos;
– Agências federais ou estaduais;
– ONG’S.

– PARCERIAS ESTRATÉGICAS
Ações comerciais com empresas que se relacionem com seu negócio.
O primeiro passo para criar parcerias estratégicas é identificar complementariedade (quem mais pode se beneficiar com seu produto?) e fazer uma proposta com diferencial para as duas empresas.
Para identificar empresas potenciais para parcerias estratégicas basta desenhar a rede do seu negócio, identificar os segmentos alvos e buscar as parcerias.

PRINCIPAIS FONTES DE INVESTIMENTO COM PARTICIPAÇÃO SOCIETÁRIA OU CAPITAL ONEROSO:

Primeiramente, iremos tratar das fontes de investimento com participação societária, que são processos de negociações entre organizações ou pessoas físicas (cotistas), visando transferir cotas sociais de uma empresa para outra empresa ou para outra pessoa física.

Para melhor entendimento, podemos dividir esses investidores em dois grandes grupos:

– INVESTIDOR ESTRATÉGICO:
Quando o comprador opera no mesmo segmento da vendedora e tem interesse operacional na empresa com intuito de manter o investimento no longo prazo.

– INVESTIDOR FINANCEIRO:
Quando o comprador tem interesse focado em maximizar o retorno por meio da retirada de dividendos e ganho de capital na venda do ativo em curto e médio prazo.
Para os investidores financeiros existe uma dinâmica que retroalimenta o sistema mantendo-o perene.

OS PRINCIPAIS ATRATIVOS EM UM NEGÓCIO PARA OS FUNDOS DE INVESTIMENTO:

– Pessoas: Empresário e equipe (com propósito e energia);
– Solução com proposta de valor consistente;
– Preencher lacuna no mercado;
– Grande e rápido potencial de crescimento;
– Modelo de negócio inovador;
– Bons resultados financeiros (receita recorrente, ROI, lucro e caixa);
– Diminuir o risco (Ex.: não haver informalidades / fragilidade à regulamentação);
– Boas e atrativas alternativas de saída.

Continue lendo mais em:

Principais fontes de investimento de capital para um novo negócio ou startup: Como saber qual é a melhor opção?

Artigo escrito por: Profº Jaziel Pavine de Lima

jaziel@valorebrasil.com.br

Especialista em Avaliação de Empresas pela FUNDACE USP e FIPECAFI; Professor do curso de Valuation na pós graduação do BI Internacional, UNISEB COC e UNISESCON; Founder e Diretor da Valore Brasil – Controladoria de Resultados.

Publicado em 23 de novembro de 2018.

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta