* Por Elber Mazaro

Seguindo com a nossa série de artigos com conteúdo útil para equilibrarmos a vida pessoal com a carreira profissional, vamos falar, neste quarto artigo, sobre o protagonismo e controle na sua vida.

Como já deu para perceber é necessário que você assuma o controle do seu tempo, da sua rotina, das suas atividades e tome decisões que levarão ao tal do equilíbrio e consequentemente à uma vida com mais qualidade, e/ou realizações e satisfações.

Tanto para lidar com a integração do lado pessoal com o profissional, como para alocar o seu tempo entre as várias dimensões citadas, é preciso entender que só uma pessoa pode fazer isto, e esta pessoa é você e ninguém mais.

Ao reconhecer a necessidade de busca por equilíbrio e buscar conhecimento e informação você já está dando o primeiro passo.

Está muito na moda, se falar em protagonismo, ou seja, você deve ser o protagonista, o ator principal da sua própria vida e buscar controle, não delegando à outras pessoas para que decidam por você ou mesmo fugindo desta responsabilidade, culpando fatores externos e adiando suas escolhas e ações ou se fazendo de vítima.

As pessoas se sentem inseguras e com medos, e por isso evitam assumir que são elas mesmas que podem mudar qualquer situação. É mais fácil e cômodo terceirizar a responsabilidade, colocando a culpa no mercado, em Deus, no governo, nos inimigos, etc.

Não é preciso fazer nada sozinho e buscar ajuda, apoio, suporte, mas acima de tudo consciência é o que recomendamos.

Aumentar a consciência, ou seja, o entendimento sobre você e do que está acontecendo, do ambiente, do momento, etc, é a melhor forma de assumir o protagonismo e fazer suas escolhas e dirigir suas ações, que no final, deverão refletir seus objetivos, sonhos, e idealmente formatar a sua rotina de atividades.

Um aspecto para se entender é que sempre existirão cobranças, julgamentos, avaliações e comparações, por vivermos em sociedade e sermos humanos, mas o que importa, é como você entende e reage a estes.

É muito comum as pessoas, depois de muitos anos passados, se cobrarem ou serem cobradas por alguém próximo.

As cobranças mais comuns são de que poderiam ter tido uma carreira promissora e não tiveram, ou então, que poderiam ter passado muito mais tempo com a família e com os amigos ao invés de se dedicado tanto ao trabalho.

Eu sempre digo: você será cobrado, nem que seja por você mesmo, então tome as suas decisões, faça as suas escolhas, entenda as trocas (“trade offs”), ou seja, esteja consciente do que está decidindo e do porquê, considerando, inclusive, as consequências das decisões.

Estando consciente, você pode decidir, escolher e realizar, assim responder às cobranças futuras em paz, consciente de que foi sua escolha, por exemplo: se dedicar muito ao trabalho naquele período e sabendo que sacrificaria alguma outra dimensão; ou em outro exemplo: de que fazia todo sentido para você estar com a família, acompanhar o crescimento dos filhos, deixando outro colega receber a tal promoção que exigiria muito mais dedicação, no lado profissional. 

Esta abordagem evita ou minimiza as frustrações e arrependimentos, graças a sua consciência que representa estar em paz, sabendo que você decidiu da melhor maneira possível, com que o tinha de informações e conhecimento no momento, e de que haverá, de qualquer maneira, uma cobrança futura.

É por isto que devemos investir tempo para a aplicação técnicas de autoconhecimento, que aumentam a consciência sobre quem é você, e depois é possível entender o que quer, onde deseja estar e chegar, para na sequência explorar o como, considerando o tal do equilíbrio entre vida pessoal e profissional em uma rotina.

No final a decisão deve ser sua.

Eu conheço algumas pessoas que ilustram bem esta mudança.

Pessoas que estavam com problemas de saúde, estavam desequilibradas, sendo que a maioria estava trabalhando demais, muitas horas em situações estressantes / demandantes, chegando a 15 ou 16 horas por dia, e ao mesmo tempo, sacrificando todo o resto (todas as dimensões pessoais). 

Quando viram que poderiam morrer logo, tomaram consciência do desequilíbrio e do caminho que estavam trilhando, e decidiram mudar. Existem alguns casos de pessoas que precisam de um choque para perceber que estão em um círculo vicioso.

Já vi uma pessoa com mais de 130Kg, perder peso, virar atleta, descobrir novas paixões, quando a “ficha caiu”. Pode ser que esse colega, que deixou de ser presidente de uma importante multinacional, teve dúvidas no primeiro momento, mas hoje ele é um empreendedor bem-sucedido e muito mais feliz.

Existem inúmeros exemplos de mudança e conquista do equilíbrio, após a compreensão e consciência sobre o que precisa mudar, mas também existem inúmeros exemplos de pessoas que morreram de infarto, ou se suicidaram ou tiveram problemas de saúde graves, por não entenderem a situação e não terem consciência e nem controle ou protagonismo sobre o que estava acontecendo com elas mesmas.

O importante é entender que sempre dá para se planejar, assumir o controle, efetivamente mudar e conquistar um equilíbrio saudável e satisfatório.


Elber Mazaro é assessor/consultor, mentor e professor em Estratégia, Tecnologia, Marketing, Carreiras/Liderança e Inovação/Empreendedorismo. Atua há mais de 25 anos no mercado, liderando negócios no Brasil e na América Latina. Possui mestrado em Empreendedorismo pela FEA-USP, pós-graduação em Marketing e bacharelado em Ciências da Computação.

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta