O JPMorgan anunciou nesta quinta-feira que planeja lançar suas próprias moedas digitais, chamadas “JPM Coin”, que os clientes poderão usar para transferência instantânea de pagamentos através de uma rede blockchain.

O maior banco dos EUA em ativos, disse que os clientes, ao depositarem dinheiro no banco, receberão a criptomoeda que poderão usar para transações com outros clientes do JPMorgan.

A moeda pode ser trocada por um dólar norte-americano, então seu valor permanecerá em grande parte estável, disse o banco.

Quando um cliente envia dinheiro para outro através do blockchain, as moedas do JPM são transferidas e instantaneamente resgatadas pelo valor equivalente a dólares americanos, reduzindo o tempo de liquidação típico, disse o banco.

O presidente-executivo Jamie Dimon já criticou o antigo bitcoin, chamando-o de “fraude”. Naquela época, Dimon disse que as criptomoedas são “piores que os bulbos das tulipas”, referindo-se a uma famosa bolha no mercado dos anos 1600.

Ele moderou sua opinião alguns meses depois, dizendo que se arrependia de ter chamado a bitcoin de fraude, mas manteve seu desinteresse pela criptomoeda.

O banco disse em uma apresentação que apoiava “criptomoedas contanto que elas sejam adequadamente controladas e reguladas”.

No ano passado, vários grandes bancos americanos, incluindo o JPMorgan, proibiram a compra de bitcoins por clientes de cartão de crédito. O Goldman Sachs também abandonou seu plano de abrir uma mesa para negociação de criptomoedas.

O JPMorgan disse que sua nova moeda, que será lançada na tecnologia de blockchain é atualmente um protótipo. A empresa planeja tornar a moeda operável em todas as redes blockchain.

*Por Agência Reuters

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta