A Amazon Web Services (AWS), anunciou hoje o lançamento do AWS EdStart para o Brasil, um programa de aceleração para startups com soluções voltadas para a educação.

A iniciativa, que chega pela primeira vez na América Latina, foi criada para ajudar empreendedores a desenvolverem a próxima geração de soluções de aprendizado online, análises e gerenciamento de campus por meio de serviços de computação em nuvem da AWS. O programa, de alcance global, já apoiou milhões de dólares em créditos promocionais da AWS em 31 países, beneficiando startups como Mursion, Mission U, Way Up e Quizizz. 

Focado em tecnologias inovadoras de ensino e aprendizado, o AWS EdStart ajuda startups em fase inicial a captarem os recursos e profissionais necessários para o crescimento e desenvolvimento de seus negócios.

“A AWS trabalha diretamente com uma comunidade de pessoas e organizações dispostas a buscar soluções que resolvam os problemas globais de educação. Ficamos felizes ao ver mais e mais instituições de educação no Brasil reconhecendo a necessidade de levar suas operações à nuvem, e nós estamos aqui para ajudá-las na jornada. É um mercado com anseios pela transformação digital e por tecnologias como Machine Learning, Inteligência artificial, big data e segurança de dados”, comenta Paulo Cunha, Country Manager para o Setor Público da AWS no Brasil. 

Principais benefícios

  • Treinamentos técnicos – como membro do AWS EdStart, uma startup tem acesso a várias oportunidades de treinamento técnico para apoiar a consolidação da empresa. Os recursos incluem webcasts, sessões de treinamento técnico e apresentações especializadas realizadas por parceiros. 

  • Mentoria – o programa incentiva a colaboração e a conversação entre líderes setoriais experientes e startups de tecnologia educacional. A mentoria também promove meetups, Pitch Days e recepções para os membros da comunidade.

O AWS EdStart foi concebido para ser um programa gratuito, sem custos na inscrição, buscando a participação, colaboração e democratização dos avanços tecnológicos na educação. Os participantes terão acesso às mesmas ferramentas na nuvem que algumas das maiores empresas e governos do mundo estão utilizando, além de acessar e compartilhar o que há de mais avançado no conhecimento a respeito da computação em nuvem.

“Os beneficiados podem fazer parte do programa pelo tempo que desejarem, porque entendemos que a troca de ideias e experiências é essencial para a inovação”, explica Cunha.  Atualmente, a comunidade do AWS Edstart já conta com mais de 300 participantes ao redor do mundo. 

Para participar e receber os benefícios, as startups inscritas devem ter como missão de negócios avançar a área da educação com soluções inovadoras focadas em desafios reais encontrados por estudantes, professores e gestores de instituições de educação.  Empresas elegíveis para participação no programa são novas, crescendo rapidamente e tem menos de 5 anos de presença de mercado e uma receita anual menor que US$ 10 milhões. 

Para mais informações sobre o EdStart clique aqui

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta