* Por Dagoberto Hajjar

Ontem, dia 12 de Agosto, o Banco Central divulgou a notícia de retração de 0,13% do PIB (economia) no segundo trimestre de 2019. Como o nível de atividade já havia recuado 0,2% nos três primeiros meses deste ano, a economia brasileira pode ter entrado em uma recessão técnica.

Eu fiquei preocupado em saber qual seria a reação dos empresários de TI.

A Advance faz, trimestralmente, uma pesquisa no mercado de TI para analisar a percepção dos empresários com o momento de mercado. Fazemos esta pesquisa desde 2009 e os dados históricos nos permitem estabelecer algoritmos de tendências, ajudando a estabelecer previsões.

A pesquisa feita em Julho, contabilizou os dados do primeiro semestre de 2019, mostrava resultados muito promissores. Mas, será que os planos dos empresários Brasileiros seriam alterados pela notícia do PIB?

Ontem, então, eu liguei para um grande número de empresários para discutir o assunto.

O que eu ouvi foram boas notícias. Embora o mercado de TI teve um primeiro trimestre em 2019 muito ruim, com apenas 2% de crescimento comparado com o mesmo período do ano passado, isto já era esperado pelos empresários.

O segundo trimestre surpreendeu positivamente. Esperava-se um crescimento também de 2%, mas contabilizamos 7,5% comparado com o segundo trimestre do ano passado. Os empresários viam um forte aquecimento fruto da aprovação da previdência, sinalizações de reforma tributária e privatizações. Agora, ainda mais importante do que isto, os empresários viam e veem que a tecnologia está passando por um momento de grande Transformação Digital e o investimento é inevitável. Aliás o termo Transformação Digital começa, neste exato momento, a tomar corpo no mercado, materializando em ações um monte de ideias inovadoras que foram mencionadas nos últimos anos.

A expectativa dos empresários se mantém em forte crescimento de 20% no segundo semestre de 2019 e mais 20% durante o ano de 2020. O desafio será conseguir mão de obra para atender esta grande oportunidade de crescimento. Faltarão desenvolvedores, consultores, vendedores, profissionais de marketing, RH, e tudo o mais, exatamente como aconteceu em 2010. Em 2009 tivemos o efeito “marolinha” com crescimento bem próximo de zero, mas tivemos crescimento de quase 20% em 2010. As empresas maiores conseguiram “roubar” profissionais das empresas menores.

A frase que eu mais ouvi, ontem, dos empresários de TI: “neste momento estou vendo mais oportunidades do que ameaças. Meu medo é eu não ser rápido o suficiente para tirar proveito de uma onda grande de consumo de tecnologia que está se formando”.

Então, o momento é de investimento em treinamento e capacitação de mão de obra, marketing para geração de demanda e de oportunidades e de vendas, vendas, vendas!!!


Foto_Dagoberto_150x150Dagoberto Hajjar trabalhou 10 anos no Citibank em diversas funções de tecnologia e de negócios, 2 anos no Banco ABN-AMRO, e 9 anos na Microsoft exercendo, entre outros, as atividades de Diretor de Internet, Diretor de Marketing e Diretor de Estratégia. Atualmente é sócio fundador da Advance – empresa de planejamento e ações para empresas que querem crescer.

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta