Se a sua meta de emprego é estar apenas nas grandes empresas, montadoras e fábricas de renome, é melhor rever este conceito. Quando o candidato concentra seus esforços apenas em uma grande empresa, as possibilidades de crescimento são bem menores. É o que afirma a coordenadora de recrutamento e seleção da RH Nossa, Eliane Catalano. “Quando um candidato consegue uma oportunidade em uma empresa de porte menor, uma startup, por exemplo, acaba tendo experiência e muita bagagem, adquirindo uma visão generalista — que é um diferencial”, afirma.

O diferencial em trabalhar em uma empresa de grande porte é que nela o profissional terá um visão específica sobre as atividades que exerce. “O profissional vai trabalhar somente em uma parte daquela organização. Nos desafios enfrentados nas pequenas organizações, o candidato aprende bastante e diversificadamente, algo que talvez não fosse possível se estivesse trabalhando em grandes players”, explica Catalano.

De olho no crescimento

A especialista observa que, quando a pessoa contratada de uma empresa de menor porte migra para uma maior, traz no currículo a visão generalista como um trunfo. “Ao serem contratadas por empresas maiores, esse trabalhador realiza funções específicas. Um analista financeiro que entra em uma empresa menor, por exemplo, vai saber de tudo. Contas a pagar, a receber, faturamento e quando ele entra em uma empresa grande, muitas vezes fica apenas em um departamento. Estar em uma empresa menor vai dar um leque de possibilidades”, conclui.

Ao tempo em que aprende com a prática, o profissional também deve estar atento ao conhecimento que adquire anteriormente e buscar meios de aplicá-los em sua rotina. O desenvolvimento deve ser constante e há muitas maneiras de investir no futuro profissional, como buscar cursos, desenvolver novas competências e diversificar seu olhar para acompanhar a constante evolução do mercado.

Originalmente publicado neste site

Ronaldo Faria Lima
Desenvolvedor de software há 23+ anos. Escreveu software para indústrias diversas, como telecomunicações e hospitality, em sistemas que variam de aplicações de missão crítica a sistemas embarcados em plataforma móvel celular.

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta