Até a próxima semana, a região do Vale do Taquari contará com 6.900 kits de testes que verificam a contaminação por coronavírus. O investimento de mais de R$ 600 mil foi feito pela Universidade do Vale do Taquari – Univates, pensando em atender às parcerias com o Hospital Bruno Born (HBB), Unimed e prefeituras da região de Lajeado, no Rio Grande do Sul.

As análises dos materiais coletados serão feitas nos laboratórios da Univates por profissionais e por meio de equipamentos de que a Instituição já dispõe. As coletas e a recomendação para a realização dos testes seguirão sendo feitas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e por profissionais e organizações da área da saúde.

São dois tipos de testes: de biologia molecular, para identificação direta do vírus; e o teste imunológico, para identificação da reação do nosso corpo à presença do vírus. A partir do momento em que as amostras estiverem na Univates e os testes forem iniciados, os resultados poderão ser entregues no mesmo dia, para situações especiais. Entretanto, dependendo da demanda e do horário em que as amostras chegarem, poderão ser entregues em até 48 horas.

Cabe ressaltar que nem todos os pacientes com sintomas deverão ser testados. “A orientação continua sendo de testar em casos mais graves para tomar as medidas cabíveis para a manutenção da saúde dos pacientes e da comunidade. A compra de mais testes é para deixar a região melhor preparada”, analisa o diretor de Serviços em Saúde da Univates, Jairo Hoerlle.

Para o reitor, Ney José Lazzari, a compra dos kits é uma das iniciativas que a Universidade vem tomando em conjunto com a Prefeitura de Lajeado, o HBB e demais órgãos de saúde. “Estamos juntos nessa empreitada. A Univates tem oferecido toda sua infraestrutura laboratorial, redes de apoio e funcionários para ajudar no combate ao vírus. Temos nos reunido diariamente num comitê municipal para tomar medidas para proteger a população e não sobrecarregar o sistema de saúde. Nosso compromisso é com todos, por isso a Universidade está junto na luta contra o vírus”, analisa.

Apenas os resultados do Laboratório Central do Estado (Lacen) são considerados oficiais, por isso os protocolos para identificação do coronavírus estão sendo validados diretamente com a equipe técnica do Lacen. A agilidade nos resultados que serão oferecidos pela Univates deve auxiliar na tomada de decisão dos gestores de saúde da região. “Temos três equipamentos na Instituição, com tempos e formas diferenciadas de realização dos testes. Se os protocolos permitirem, os três serão utilizados ao mesmo tempo para realização dos testes”, afirma Hoerlle. Os custos dos exames serão repassados a quem os solicitou, como Unimed, prefeituras etc.

Como funciona o teste 

O kit TaqMan™ 2019-nCoV Assay detecta in vitro a presença do coronavírus linhagem 2019 (Covid-19) em amostras de pacientes com suspeita de infecção. O kit de amplificação de ácidos nucleicos é composto de iniciadores e sondas para detecção e caracterização do vírus relacionado ao SARS-CoV-2.

O tempo de resposta do teste é variável, dependendo da quantidade de amostras e do equipamento utilizado. Também devem ser levadas em consideração as etapas de extração, análise dos dados e elaboração do laudo.

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta