* Por Carlos Baptista

A transformação digital deixou de ser uma utopia ou moda e se tornou realidade durante a pandemia provocada pelo novo coronavírus. Empresas ao redor do mundo se viram obrigadas a agilizar os seus processos, para se manterem ativas e não terem de fechar as portas. Mas essa transformação não impactou apenas as organizações. O atual momento demonstrou a importância de cada pessoa estar em constante aprendizado, independentemente do cargo que ocupa.

Muitos não devem ter ouvido falar ainda de um conceito chamado “lifelong learning”, que, na tradução livre, significa aprendizagem ao longo da vida. Dados recentes da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Educação (Pnad Educação) revelaram que o brasileiro passa, em média, 9,3 anos de sua vida estudando. O número vem crescendo desde 2016.

Algumas pessoas acreditam que estudar na escola ou na faculdade seria o bastante para uma vida profissional de sucesso. O conceito de “lifelong learning” prega justamente a necessidade de ser feita uma atualização constante. Isso não significa, porém, que os profissionais devem deixar de lado suas especializações e demais cursos. Ambos os conceitos devem caminhar em paralelo.

Por exemplo, quando falamos de agilidade, o processo deve sempre ser revisto e as melhorias implementadas continuamente. Essas melhorias são aplicadas ao longo dos sprints e o foco sempre está no resultado obtido pela entrega. Em relação ao conhecimento baseado em lifelong learning, os conceitos são similares. O conhecimento é adquirido em sprints de aprendizado (learning sprints) que nos ajuda na melhoria contínua de performance, sempre mantendo o foco no resultado do crescimento pessoal e profissional.

A grande verdade é que esse conceito é o método mais assertivo e rápido para uma atualização que será cada vez mais rotineira. É preciso pensar que somos uma eterna versão beta de nós mesmos e que todos possuem sempre algo a aprender, independentemente do momento da vida. Para um empresário obter maior sucesso nos seus negócios e inovar, ele precisa ter conhecimentos de áreas distintas da sua.

Quem estiver pronto para se tornar um lifelong learner vai colher inúmeros benefícios no mundo que está por vir deste pós-pandemia. Quanto mais a pessoa aprender ao longo de sua vida, mais será capaz de se adaptar às mudanças da Nova Economia, que exigirá capacidade de improvisação e flexibilização diante de situações inesperadas.

A educação “formal” se manterá e será um componente importante na atualização do conhecimento. Mas o conceito de lifelong learning será o diferencial num mundo cada vez mais V.U.C.A. pela velocidade e assertividade.

Além de se tornar um profissional bem qualificado durante toda a sua carreira, o lifelong learning abrirá a mente para novas possibilidades e desenvolvimento de novos skills. Sem dúvidas, a utilização deste conceito não beneficiará somente os indivíduos, mas as empresas, que terão muito a ganhar ao capacitar e aprimorar ainda mais suas equipes.

* Carlos Baptista é cofundador da A&B Consultoria e Desenvolvimento, é especialista em transformação digital e processos ágeis para as empresas. Atua como empresário, consultor de negócios e mentor. 

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta