O projeto social Brasil Que Dá Gosto para o Desenvolvimento irá priorizar regiões com menor Índice de Desenvolvimento Humano

O Sebrae participou na manhã desta terça-feira (16/6) da 2ª Reunião do Conselho Deliberativo da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB). O encontro marcou a participação do Sebrae no projeto Brasil Que Dá Gosto para o Desenvolvimento, que tem como objetivo a distribuição de alimentos para os municípios de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país. A meta é atender 2.054 cidades, com mais de R$ 30 milhões em alimentos comprados no comércio local.

A iniciativa é fruto de uma parceria do Sebrae com a Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB), Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), entre outras instituições. O presidente do Sebrae, Carlos Melles, participou da reunião e chamou atenção para o fato do projeto ter potencial de movimentar os pequenos negócios, além de alimentar milhares de pessoas.

“É uma alegria muito grande saber que o Sebrae poderá contribuir para o desenvolvimento desta iniciativa. Estamos aliados aos programas que estão voltados para alimentar a população nesse momento de crise. Além disso, é importante destacar o fato de que os recursos para as cestas básicas serão destinados ao comércio local das cidades, que é uma das bandeiras defendidas pelo Sebrae.”, afirmou Melles.

O diretor técnico do Sebrae, Bruno Quick, demonstrou sensibilidade ao projeto e disse que a instituição irá se empenhar em mobilizar empreendedores de todo país para fazer doações. “Esse programa busca dar um apoio aos municípios de menor IDH, o objetivo é evitar que a população passe necessidade de itens essenciais voltados à alimentação. A ideia é unir forças entre as instituições para reunir insumos da cesta básica que contemplem essa distribuição. O papel do Sebrae será de mobilizar os empresários, para levar não só alimentação, mas solidariedade. Sem dúvidas, essa iniciativa vai marcar a história das empresas participantes e de todos nós”, ressaltou.

O coordenador de projetos do CNM, Augusto Braun, lembrou que o projeto nasceu após a observação de que muitas iniciativas sociais estavam focadas nas capitais e regiões metropolitanas. “O Brasil Que Dá Gosto para o Desenvolvimento é fruto dessa necessidade das menores cidades, daqueles locais mais carentes. Temos pressa em operacionalizar essa distribuição de alimentos o quanto antes. Levar itens básicos para os brasileiros é uma medida urgente para amenizarmos a crise”, afirmou.

O presidente do CACB, George Teixeira, reforçou que o Brasil Que Dá Gosto para o Desenvolvimento tem compromisso com a transparência. Por isso, o projeto contará com a parceria de membros do Ministério Público e dos Tribunais de Conta. “Nosso projeto é social, não tem viés político. A ideia aqui é levar alimentos básicos para mais de 2 mil cidades brasileiras. Estamos na fase de captação de recursos e contamos com as instituições parceiras para fazer um trabalho solidário e honesto”, observou.

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta