BRANDED CONTENT

O desafio Like a Player, realizado pelo Arena Hub em parceria com o Sebrae e apoio do Nexus e do Startupi, anunciou as cinco startups finalistas essa semana. A iniciativa, que visa incentivar soluções para o setor esportivo, reuniu 20 jurados que analisaram as 25 startups que chegaram na segunda fase.

O challenge, que foi aberto para startups de diversos segmentos, e não somente ao do esporte, foi composto por 3 fases e a última, com a divulgação das vencedoras, acontece no dia 04 de novembro em um evento ao vivo.

Confira abaixo mais detalhes sobre as apresentações que aconteceram esta semana e conheça detalhes das soluções finalistas:

#Dia01

O primeiro dia de seleção teve como jurados Eduardo Zaidan, CFO da Squadra Ventures; Fernanda Rojtenberg, head de Marketing do Colosseum Group; Raul Daitx, sócio da Catarina Capital; e Ivan Martinho, CEO LATAM da WSL.

As cinco startups que participaram da banca avaliadora neste dia foram: Isportistics, plataforma que captura, processa, formata e analisa conteúdos esportivos, usando Inteligência Artificial e Machine Learning; Benvou, que oferece um programa de qualidade de vida em condomínios através de serviços de saúde e bem-estar; Geo-X, startup que oferece informação de fotometria, modelamento 3D, ortomosaicos, entre outros, no mercado de drone; Voit, plataforma que comercializa artigos esportivos usados; e Rede Parcerias, programa de clube de vantagens com foco no seu relacionamento com o cliente.

Dentre elas, a finalista escolhida pelo júri foi a Isportistics. Com o objetivo de treinar algoritmos para interpretar eventos esportivos como um humano faria, a startup utiliza Inteligência Artificial para gerar grafismos e conteúdos em tela para transmissão de eventos esportivos.

Vinicius Gholmie, fundador da Isportistics

Com sede em São Paulo, a startup possui hoje mais de 17 pessoas em seu time. Vinicius Gholmie, fundador da Isportistics, agradeceu a equipe e investidores que apoiaram a empresa até aqui. “Sem dúvida nenhuma, poder apresentar isso aqui para vocês no nível de excelência e qualidade que a Isportistics está hoje tem a ver com todas as pessoas que estão envolvidas não só no dia a dia da Isportistics, e deselvolvimento, engenharia, etc, mas também os nossos investidores da nossa primeira rodada e toda rede de advisors que tivemos até agora”.

#Dia02

O segundo dia também reuniu nomes de peso na banca avaliadora. Sendo figuras importantes para o ecossistema de inovação e startups, participaram: Marcia Cintra, investidora pela Gávea Angels; Geraldo Santos, diretor do Startupi e investidor-anjo; Yoan Noguier, cofundador do Yunus Sports Hub; e Fernando Gavini, fundador do Olimpíada Todo Dia.

As startups que apresentaram seus pitches foram: Tero, plataforma digital que conecta atletas brasileiros a oportunidades de carreira; Ride2play, rede social focada no hipismo; Umais, plataforma de gestão para atléticas universitárias; Futebol Interativo, startup que oferece capacitação profissional para várias áreas do mercado do futebol; e Lptennis, plataforma online para gestão de academias, ligas, clubes, professores particulares e outros impulsionadores do tênis.

Neste dia, a Tero foi a selecionada para a final. A startup carioca promove o encontro entre os esportistas e os recrutadores de clubes e colégios e universidades não só do Brasil, como do mundo inteiro.

Bruno Machado, CEO da Tero

Bruno Machado é o CEO da startup e apresentou o pitch. Após ser selecionado, o empreendedor ressaltou que “é extremamente importante o trabalho que o Arena Hub vem fazendo em termos de poder, de fato, dar essa visibilidade para startups”.

#Dia03

Luiz Claudio Menezes, investidor pela BR Angels; Felipe Ribbe, head of BizDev na Enzima; Julio Labate, sócio da Componente Holding; e Geraldo Campestrini, CEO da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa foram os jurados do terceiro dia de seleção.

Do outro lado da bancada, estavam as startups Ânimo Wellness, aplicativo de bem-estar que oferece aulas guiadas de exercício; Chega+,  aplicativo que organiza gratuitamente as peladas de futebol entre amigos; Congresse.me, edtech voltada à realização de congressos e eventos online; a Fan Base, agência especializada em projetos de Fan Engagement e Patrocínio Esportivo; e Ploy, marca que disponibiliza um acessório portátil que pode ser acoplado em cadeiras de roda a fim de torná-la mais segura e mais estável, inclusive para práticas esportivas.

A Fan Base foi a terceira finalista escolhida pelo júri. A startup combina tecnologia, abordagem de dados e estratégias digitais para desenvolver programas de relacionamento e oportunidades de negócios excepcionais com os fãs de esporte para entidades esportivas e patrocinadores.

Rafael Mangabeira, fundador da startup

Após o anúncio de que estaria na final, Rafael Mangabeira, fundador da startup, ressaltou a importância da tecnologia. “Hoje a tecnologia traz algumas perspectivas muito boas para as entidades menores e médias. Como eu disse, dependem muito e vão depender cada vez mais, e quase que unicamente, das suas relações com as suas comunidades, com suas regiões, e sem tecnologia é muito difícil fazer isso”.

#Dia04

Na quinta-feira, penúltimo dia de seleção, o júri foi composto por Pedro Sirotsky , sócio-gerente da Barra; Luis Davantel, diretor da WTorre; Paulo Renato, gerente do Sebrae; e Renato D’Avila, superintendente da Confederação Brasileira de Voleibol.

As startups analisadas foram Tripbike, startup que conecta ciclistas que estão buscando experiências novas e seguras à ciclistas experientes que conhecem bem suas regiões;  Multiplier, aplicativo que permite transmitir simultaneamente vídeos, ao vivo ou pré-gravados, em diferentes redes sociais; New Drift conjunto de atividades, como conteúdo e cursos, baseados em sportstechs; Talk To Your Idol, plataforma que conecta os ídolos do esporte com seus fãs; e Soul Brasil, plataforma focada na autogestão e no desenvolvimento de carreira do atleta.

A vencedora deste dia foi a Soul Brasil. Com base no Paraná, ela oferece uma ferramenta online gratuita que ajuda atletas a identificarem seus pontos fortes e oferece materiais de apoio para ajudar no desenvolvimento da carreira profissional. O grande objetivo da startup é oferecer suporte aos atletas, da base ao pós-carreira, passando pelo alto rendimento.

Paulo Braga, cofundador da Soul Brasil

Paulo Braga, cofundador da startup, comemorou o anúncio de sua participação na final e sobre a importância de iniciativas como o Arena Hub. “O desafio do empreendedorismo já é grande e no esporte, ele é um pouquinho maior. Iniciativas como a do Arena Hub fomentam e dão o suporte para ajudar a gente a seguir e buscar o que queremos”.

#Dia05

Hoje foi o último dia de seleção e a bancada avaliadora contou com grandes nomes para fechar com chave de ouro: Edson Mackeenzy, diretor de Investimentos na The Venture City; Andre Casmerides, Investment Analyst na Bossa Nova; Denis Balaguer; diretor na EY; e Luiz Ryff, Board Advisor na SportIn Global.

Neste último painel, participaram as startups Sigo Esporte, plataforma desenvolvida para que atletas, esportistas, treinadores e organizações esportivas obtenham recursos independente de verbas públicas e patrocínios; Genesis Training, sistema que integra administrativo, financeiro, metodologia de ensino e avaliação de aluno e atletas; Esporte Educa; que conecta oportunidades de estudo, com bolsa de estudo, à esportistas; Inova Sports;  startup que conecta jogadores de e-Sports amadores, profissionais e marcas a um ecossistema de tecnologia, entretenimento, competição e profissionalização; e Joga, startup focada em performance para jogadores amadores de futebol.

Com sede em Florianópolis, a Joga foi a startup selecionada desta sexta-feira para ir para a final. Pensando na performance dos jogadores, a startup oferece um sistema de monitoramento e análise de informações no futebol profissional. A plataforma nasceu para ser uma opção aos tradicionais receptores GPS na intenção de medir e melhorar desempenho e prevenir lesões.

Robson Motta, fundador da Joga

O idealizador da plataforma é o ex-jogador de futebol Robson Motta. Segundo ele, as conexões que o Arena Hub oferece já estão sob radar dele e da startup. “Já estamos tentando fazer o máximo de conexões possíveis. Das outras apresentações, dos dias anteriores, a gente já anotou várias que a gente quer trocar figurinha para ver se tem sinergia para avançar para alguma parceria”, afirmou durante a live de hoje.

Anúncio das vencedoras

A definição e anúncio dos vencedores será feita no dia 04 de novembro em um evento ao vivo. As cinco startups (Isportistics, Tero, Fan Base Network, Soul Brasil, Joga) concorrem aos seguintes prêmios:

1º colocado

  • 01 Pitch Deck desenvolvido pela 2simple;
  • 03 mentorias 2simple Conecta;
  • 01 pacote de serviços jurídicos cedido pela Bonuz;
  • 06 meses de utilização gratuita do espaço do Arena Hub (01 posição);
  • 01 Publieditorial (matéria completa), com veiculação no portal e nas redes sociais Startupi.

2º colocado

  • 01 pacote de serviços jurídicos cedido pela Bonuz;
  • 02 mentorias 2simple Conecta;
  • 03 meses gratuitos de utilização do espaço físico do Arena Hub (01 posição).

3º colocado

  • 01 pacote de serviços jurídicos cedido pela Bonuz;
  • 01 mentoria 2simple Conecta.

Quer acompanhar de perto o que acontece de mais relevante no ecossistema de inovação e startups? Acesse nossas redes sociais e cadastre-se na Newsletter Startupi, aqui.

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta