* Por Rogério Borili Pereira

Já estamos sentindo na pele há muito tempo os intensos desafios da Era “Digital is Everything”. A pandemia apenas acelerou a transformação digital, pressionando consumidores e empresas a uma adesão imediata. Em um processo que já era altamente complexo, CIOs e profissionais de TI se veem transformados em verdadeiros polvos, tantos são os tentáculos que precisam alcançar as diferentes áreas e demandas.

Um contexto altamente desafiador para todos e ao mesmo tempo empolgante para quem já se acostumou a uma realidade disruptiva, na qual novas tecnologias surgem o tempo todo, exigindo qualificação e aprendizado contínuos. Todas essas vertentes alcançam os níveis mais profundos de organização interna, alterando o modus operandi no qual empresas tradicionais estavam acomodadas.  Novos tempos exigem novas metodologias e as startups estão aí para inspirar modelos ágeis de gestão, focados na adoção das novas tecnologias. Ou seja, vivemos a revolução dentro da revolução.

É natural que, diante de tantas oportunidades de agir e fazer a diferença, os CIOs avaliem o que deve ser priorizado para não se perder no caos. A digitalização traz profundas mudanças para os negócios e a área de TI passa a ser o ponto central de quase tudo dentro das organizações, assumindo um papel de protagonista. 

O Gartner indica as mais recentes prioridades de liderança, organização e tecnologia que os CIOs devem abordar em 2020 para navegar nas viradas de negócios: 

– Há incerteza no horizonte: mudanças nos negócios, como aquisições, pressões de custo e alterações nas demandas do consumidor, têm o potencial de mudar fundamentalmente a forma como as empresas fazem negócios. Em tempos difíceis, as empresas frágeis sofrem danos estruturais permanentes. Empresas aptas, no entanto, emergem desses eventos mais fortes e competitivas.

– O que faz a diferença? Empresas aptas têm CIOs que ajudam sua organização a se alinhar, antecipar e se adaptar. Não espere pelas circunstâncias para forçar uma mudança de direção. Nem uma abordagem de esperar para ver, nem uma estratégia defensiva de corte de custos irão impulsionar os vencedores na adversidade. 

– Quando a crise surge, as organizações precisam de líderes que saibam em que direção a empresa deve seguir e possam inspirar confiança em sua equipe para chegar lá: CIOs podem ajudar a preparar sua organização para as voltas, concentrando-se no fortalecimento de três áreas vitais: estratégia, custos e talento.

Cabe ao CIO um esforço adicional para que todos valorizem a área de TI com um novo olhar. Segundo o Gartner, 63% dos CIOs lutam para comunicar o valor de TI. Eles devem se tornar agentes centrais na demonstração do valor comercial da área e garantir a credibilidade da TI dentro da organização. Muitas vezes, os CIOs se concentram em tecnologia e métricas de desempenho operacionais que aborrecem os líderes de negócios e falham em transmitir o valor da TI em resultado para as corporações. “Historicamente, TI como TI, não temos sido muito bons em divulgar nosso sucesso”, disse Sanil Solanki, MVP do Gartner.

Atualmente, os CIOs estão profundamente envolvidos em transformar o cenário da organização como um todo, identificando maneiras de incorporar perfeitamente a tecnologia à cultura da empresa e atingir as metas de crescimento dos negócios.  

O IDGTECHTalk Twitter Chat, que abordou as principais prioridades dos CIOs para 2020, detectou o direcionamento das lideranças para um mergulho profundo na melhoria das operações como um todo, além da tecnologia em si, por meio de iniciativas como: melhor treinamento, compreensão das metas organizacionais e fortalecimento da comunicação. Embora a nuvem, a segurança cibernética e a análise sejam sempre importantes, os CIOs estão buscando uma visão mais ampla e maneiras mais assertivas de integrar a tecnologia para obter melhores resultados. 

Prioridade 1: entender o negócio como um todo

O pior hábito do CIO é ficar excessivamente apaixonado pela tecnologia, enquanto ignora os objetivos do negócio. Os CIOs não podem operar no vácuo. A tecnologia é um componente essencial da função, operação e crescimento de todas as organizações. Um CIO deve compreender todos os aspectos da empresa para alinhar adequadamente a estratégia de TI aos objetivos gerais de crescimento dos negócios.

Prioridade 2: tecnologia que permite comunicação e colaboração

A tecnologia deve ser usada para criar oportunidades de comunicação e colaboração. E também deve haver um diálogo aberto dentro da empresa sobre a tecnologia em si e a criação de um ambiente seguro para as pessoas testarem e se entusiasmarem com as ferramentas que estão usando.

“Os CIOs devem renovar suas equipes para adicionar e priorizar cinco novos conjuntos de habilidades, incluindo automação, rede, segurança, aprendizado de máquina e colaboração (o tipo humano). Os CIOs de 2020 se beneficiariam de um QI e QE mais equilibrados”, disse Adam Stein, Diretor de Marketing da APS.

Prioridade 3: treinamento melhor e mais consistente

O tema treinamento revelou uma convicção coletiva de que os CIOs, suas equipes de suporte e todos os demais dentro de uma organização precisam ser devidamente treinados para que a empresa tenha sucesso. Isso inclui encorajar a colaboração e abraçar a transparência. O treinamento eficaz é fundamental, pois muitas empresas descartam soluções digitais, mas nunca treinam a equipe sobre como os vários sistemas funcionam e interoperam. 

Prioridade 4: Implementação de IA

A Inteligência Artificial e o papel de expansão que ela desempenhará na organização foi um tema discutido em profundidade. Há muitas oportunidades para a IA otimizar a organização e fornecer vantagens competitivas. Mas os CIOs também têm a tarefa de investir em IA com sabedoria, para que ela exerça seu poder em algo útil e orientado para o crescimento.

“Se o aprimoramento de IA dos ciclos de negócios em CX, finanças, operações e produto principal não estiver no roteiro do CIO, seu CIO pode estar distraído ou não ter a experiência de domínio de que sua organização precisa para competitividade de mercado”, disse Wayne Anderson, arquiteto de segurança e conformidade do Centro de Excelência M365 da Microsoft.

Como podemos observar, à medida que a tecnologia invade e permeia todos os setores da economia e todos as áreas das organizações a importância do CIO se expande consideravelmente. Definir prioridades torna-se essencial nesse contexto, tanto no que se refere à escolha das ferramentas essenciais para o sucesso dos negócios, como na definição de investimentos para cada uma das suas novas e abrangentes responsabilidades. Entre elas, o inegável papel de criar uma cultura de entusiasmo e adoção das tecnologias, disseminando o potencial de inovação e resultados para os negócios que elas podem proporcionar.

* Rogério Borili Pereira é vice-presidente de Tecnologia e Sustentação da Becomex Consulting. Atua na implementação de processos fiscais eficientes em grandes organizações visando compliance e ganhos tributários.

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta