* Por Leandro Alvarenga

Em um mundo totalmente conectado, em que a evolução tecnológica não para um segundo, a implementação da Inteligência Artificial na vida cotidiana dos consumidores tornou-se natural.

Uma das áreas que mais cresce é a tecnologia de voz, em especial os serviços cognitivos de vozes neurais (Neural TTS), que, utilizando algoritmos de Machine Learning (Aprendizagem de Máquina), são capazes de criar vozes com timbres e entonações realistas em diversos idiomas e a partir de qualquer texto. De olho nessa tendência, empresas de todos os setores estão implementando esse recurso na maneira em que interagem com seus clientes, parceiros e colaboradores – o que promete transformar para sempre a relação entre comunicação humana e máquina.

As vozes neurais, mesmo em seus passos iniciais, já facilita a produção de conteúdo, pois posicionam o foco do time de desenvolvimento na melhoria da experiência dos usuários sem um alto investimento em Machine Learning. O surgimento dos serviços cognitivos ajuda não apenas a reduzir gastos operacionais, que sempre foram excessivos, como também facilita a assistência, pois a produção tem mais autonomia e rapidez na mudança de roteiros, oferecendo exatamente o que um cliente, por exemplo, está procurando, e isso fortalece seu vínculo com a organização e melhora sua experiência.

Com a aplicação dessa tecnologia de voz em produções de vídeo, construindo roteiros personalizados para cada tipo de demanda, cliente ou situação, em um curto período de tempo é possível fazer alterações ou até mesmo transformar completamente o material. Isso tudo de uma maneira ágil e que não gera nenhum tipo de custo extra. O que antes era um processo demorado, burocrático e caro, em que era preciso a mobilização de toda a equipe de produção nos trâmites com os locutores até a versão final de um filme, hoje se torna acessível. Agora é possível personalizar a comunicação com base na preferência por voz e idioma, convertendo o texto em uma voz mais natural, que combina os padrões de entonação e emoção de vozes humanas de forma barata e rápida.

As novas oportunidades derivadas da vantagem em usar a Inteligência Artificial para voz podem ser métodos importantes para consolidar a marca de uma empresa como inclusiva e avançada, diferenciando-a com uma voz personalizada. A estimativa é que nos próximos anos, mais e mais negócios sejam beneficiados por essa tecnologia, buscando otimizar e dar mais escala à produção de conteúdo. E é claro que o foco é melhorar os processos e reduzir custos – e não substituir os profissionais da voz.

Essas soluções ainda estão conquistando o seu espaço no mercado e ainda será necessário muito desenvolvimento e melhorias constantes no produto. Mesmo assim, hoje já é um grande diferencial competitivo para os desafios da comunicação.

* Leandro Alvarenga é CEO da Prime Arte, produtora audiovisual brasileira. 

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta