A HA Tecno, startup curitibana, recebeu um aporte de R$1,2 milhão e desenvolverá um scanner biométrico capaz de detectar fraudes em impressões digitais. O projeto conta com o apoio da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e da DIMEP, empresa provedora de tecnologia com forte atuação no mercado de biometria.

empresa, criada em 2018 e que faz parte do Vale do Pinhão, vai produzir, em parceria com clientes, um scanner capaz de prevenir fraudes por impressão digital falsa, alterações na pele (por abrasão, queima ou cortes) e efetuar a identificação de bebês recém-nascidos.

A ideia surgiu a partir do trabalho de pesquisa de um dos cofundadores da empresa, Henrique Gutierrez Costa, em seu doutorado no Brasil e nos Estados Unidos envolvendo biometria e ótica biomédica. “Com o nosso equipamento podemos identificar, de forma não invasiva e muito mais precisa, a identidade das pessoas por meio de um feixe de luz que capta a identificação na camada externa e interna da pele, evitando fraudes e atendendo uma gama grande de segmentos (como financeiro, saúde, governo, militar, etc)”, explica Costa.

Com o investimento, a HA Tecno pretende transformar o protótipo do leitor em equipamento final para produção industrial. “Após o desenvolvimento, que começa em agosto e contará com a participação de potenciais clientes, iniciaremos a produção e a comercialização”, diz Alceu Maron, um dos fundadores da empresa.

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta