Fundada em 2015 no Chile, a foodtech NotCo tem ganhado cada vez mais espaço no Brasil. A empresa produz, com auxílio de inteligência artificial, alimentos de origem 100% vegetal. O produto mais conhecido é a NotMayo, maionese sem qualquer ingrediente de origem animal e com um impacto ambiental muito menor que marcas tradicionais: 83% menos água e 37% menos emissão de CO².

A startup, que atraiu a atenção de Jeff Bezos e levantou US$30 milhões em uma rodada de investimentos liderada pelo dono da Amazon no início deste ano, chegou no Brasil para ficar. Recentemente, anunciou Luiz Augusto Silva como seu presidente no Brasil. O executivo tem em seu currículo passagens por empresas como Danone e Unilever.

Ao STARTUPI, Luiz conta que a chegada no país é um marco para a empresa. “O Brasil é o maior país da América Latina e não poderia estar fora do plano de expansão da NotCo. Além disso, o crescimento do mercado plant-based e a preocupação dos brasileiros com a alimentação são grandes oportunidades”, diz.

Brasil

Agora, o plano da NotCo é se tornar a empresa alimentar de mais rápido crescimento no país, “liderando o movimento de disrupção das foodtechs, e permitir que todos tenham a oportunidade de provar os nossos produtos”, explica o presidente.

A chegada da startup no Brasil vem em boa hora, porque o mercado para as foodtechs nunca esteve tão propício. De acordo com o Euromonitor International, até o ano de 2021 o mercado de alimentação saudável no Brasil deve crescer, em média, 4,41% anualmente.

Para o presidente da startup no Brasil, embora o crescimento do segmento saudável seja uma tendência clara, ainda é difícil encontrar no mercado produtos que equilibrem valor nutricional e sabor. “A NotCo vem com a proposta de recriar os alimentos de origem animal apenas com plantas, mas preservando sabor, aroma, textura e valor nutricional dos alimentos. Dessa maneira o consumidor tem uma opção mais sustentável sem abrir mão do sabor que ama.”

Sem carne

Uma das razões para o sucesso da NotCo é a forma se comunica com seus consumidores. Muito mais do que vender maionese, leite e sorvetes, a marca chilena mostra aos seus clientes o impacto positivo para o meio ambiente em consumirem seus produtos. “A mudança de hábito e a redução do consumo de alimentos de origem animal está associada à preservação do nosso futuro.”

Uma pesquisa Ibope de 2018 mostrou um crescimento histórico na quantidade de vegetarianos no Brasil. Hoje, 14% da população não come carne. Este percentual chega a 16% nas regiões metropolitanas de São Paulo, Curitiba, Recife e Rio de Janeiro.

A mesma pesquisa mostra que 55% dos brasileiros entrevistados que consumiria mais produtos sem nenhum ingrediente de origem animal se estes estivessem melhor indicados na embalagem ou se tivessem o mesmo preço que os produtos não veganos. Nas capitais, esta porcentagem chega a 65%.

“Dados da FAO apontam que até 2050, se não houver uma mudança de hábito, não conseguiremos nos alimentar da maneira como fazemos hoje. Tudo isso prova que existe uma mudança de consumo sim e essa mudança se torna mais fácil se os alimentos, além de saudáveis e sustentáveis, também forem saborosos”, afirma Luiz.

Tecnologia

A tecnologia está impactando a forma como a sociedade lida com alimentação, seja no acesso à informação, seja na forma como o alimento é produzido hoje. A NotCo possui um algoritmo próprio, chamado de Giuseppe, que funciona como um acelerador de pesquisa e desenvolvimento.

A inteligência artificial da startup entende a estrutura molecular dos alimentos de origem animal e procura na sua base de dados quais vegetais que, combinados, recriem o alimento preservando o seu sabor, textura, aroma e valor nutricional do alimento “tradicional”. “A tecnologia deve ser vista como uma facilitadora, um meio para que seja possível desenvolver alimentos cada vez mais sustentáveis, saudáveis e saborosos. E vai além disso, é também um facilitador de informação, escalabilidade e acesso à estes alimentos”, explica.

O carro-chefe da empresa é a NotMayo, que é vendida nas lojas do Pão de Açúcar pelo Brasil todo. De acordo com Luiz, a NotCo está ampliando agora sua base de lojas e, para os próximos meses, pode esperar novos sabores da “não-maionese”, além dos Not Milk e Not Icecream.

Por enquanto, a empresa está presente no Brasil, Chile e Argentina. Para o próximo ano, Luiz afirma que a chilena pretende expandir suas operações para os Estados Unidos.

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta