O Instituto Proa – organização sem fins lucrativos que busca o desenvolvimento pessoal, educacional e profissional de jovens de baixa renda – se aliou à Oracle para criar, por meio da tecnologia, uma plataforma que distribui “moedas virtuais” para alunos conforme eles vão se aprofundando no universo cultural da cidade de São Paulo.

De acordo com Jussara Fradique, coordenadora do PROACoins, a iniciativa surgiu para desenvolver o interesse dos jovens que participam das atividades do Instituto na história e cultura de São Paulo. “Pensamos: ‘por que não incentivar em massa os jovens de escola pública a consumirem cultura?’. Levamos a ideia para a Oracle, que viu potencial e desenvolveu o projeto conosco”, explica.

Além da Oracle, também participam do projeto empresas de educação, cultura e entretenimento, para oferecer benefícios aos jovens participantes. Entre as empresas parceiras do projeto, estão Cinemark, Cruzeiro do Sul, Ítalo Brasileiro, Impacta, Udemy, Cultura Espanola, 4You2, English Live, Senac, Estuda.com, Australian Centre e Meu Entrevistador.

O jogo do Instituto Proa

A PROACoins funciona como um “Pokemón Go” do Instituto Proa. Ao chegarem ao local proposto no app, como um museu, parque ou biblioteca, a plataforma faz perguntas ao jogador relacionadas ao local. A maioria dos pontos turísticos e culturais da cidade fazem parte do jogo, como MASP, Theatro Municipal, Parque Ibirapuera e Biblioteca Mário de Andrade.

Cada resposta correta dá ao jovem uma quantidade de pontos, que podem ser trocados por prêmios que vão desde ingressos de cinema e teatro até intercâmbios e bolsas de estudos. As recompensas podem ser resgatadas por jovens que ainda estão estudando ou se formaram em escolas públicas a partir de 2012.

Jussara explica que todo o jogo foi realizado dentro da plataforma Unity, com nuvem na Oracle. “Temos desenvolvedores que cuidam das alterações de estrutura e visuais e o apoio do time técnico da Oracle para novas tecnologias”, diz.

Por enquanto, o jogo está disponível apenas na capital paulistana, mas o objetivo é que a iniciativa seja expandida para estudantes de todo o Brasil em breve. “Já começamos pequenas implementações para iniciarmos expansão no Rio de Janeiro entre o fim desse ano e início do próximo. Tendo um resultado positivo, queremos expandir para o restante do país”, afirma a coordenadora.

Maior premiação

Hoje, mais de 15 mil pessoas já baixaram o aplicativo e pelo menos 6 mil já adquiriram alguma pontuação dentro do jogo. “Queremos chegar na meta de 500 recompensas trocadas até o fim do ano”, completa Jussara.

Tallita Andrade, 18 anos, se formou ano passado na E.E. Professora Sylvia Ramos Esquivel, em Diadema, no ABCD Paulista. Ela conheceu o app a partir de um curso profissionalizante de seis meses que realizou no Instituto Proa. Após seis meses coletando pontos, conseguiu resgatar o prêmio máximo da plataforma: um intercâmbio para a Austrália.

“Eu sou uma pessoa apaixonada por línguas. Já faz quatro anos que eu estudo inglês e, por outros aplicativos, fiz amigos de várias nacionalidades e quis conhecer outros países. Tem um mundo tão grande lá fora, tantas culturas, tanta coisa para conhecer! Mas, para eu fazer um intercâmbio, sabia que levaria anos juntando dinheiro para poder viajar, porque minha mãe não teria condições de pagar”, explica.

Tallita não terá custo nenhum com a viagem: “Só vou levar uma quantia pra poder comprar algumas coisas, turistar…” Para a estudante, o jogo lhe rendeu mais que a tão sonhada viagem para o exterior.”Além de conquistar o intercâmbio, o meu repertório cultural aumentou muito”, completa.

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta