A iClinic, healthtech especializada em desenvolvimento de tecnologia para médicos, clínicas e consultórios, acaba de levantar um aporte em uma rodada série B com o fundo para América Latina do SoftBank. O valor da transação não foi divulgado.

O CEO da iClinic, Felipe Lourenço, explica que o capital será utilizado em duas frentes. “Primeiro, para continuar investindo em nosso crescimento orgânico, por meio do desenvolvimento de novos produtos e linhas de negócio e também para crescimento inorgânico por meio de M&A, seguindo nossa visão de consolidar o segmento”.

Lourenço explica que a empresa já fez três aquisições, dentre elas a operação brasileira da indiana Practo em março de 2019. “Após experiências muito bem sucedidas com esses primeiros negócios, iniciaremos agora um movimento forte de consolidação e já temos mais de 15 alvos mapeados com o potencial de gerar grandes sinergias para a nossa visão”.

“Acreditamos que a iClinic é quem está melhor posicionada para liderar a digitalização do setor de saúde no Brasil, que se encontra em um ponto de inflexão na atual pandemia, afirma o diretor do SoftBank Group International, Felipe Rodrigues Affonso. “A plataforma da iClinic oferece transparência valiosa e tem o potencial de transformar drasticamente a forma como as pessoas no ecossistema de saúde se conectam”.

Crescimento acelerado

A iClinic duplicou duas vezes seguidas o seu faturamento nos últimos dois anos. Em 2020, na contramão da crise, a empresa continua ampliando os negócios devido à pandemia. “A significativa queda no volume de atendimentos ocasionada pelo fechamento temporário dos consultórios e clínicas médicas têm acelerado o movimento de transformação digital no setor, que busca alternativas para continuar operando com a adoção de ferramentas de telemedicina, prática recém regulamentada no País”, esclarece Lourenço.

Atualmente, a startup ajuda mais de 22 mil profissionais em 50 especialidades médicas. Com suas ferramentas de prontuário eletrônico, CRM, faturamento e uma recém-lançada solução de telemedicina utilizadas diariamente por médicos em mais de 750 cidades do país, a companhia quer ir além, transformando-se em um hub de soluções para esses profissionais.

Felipe Lourenço, CEO da iClinic.

“Queremos ser o one stop shop de tecnologia para o médico, sua principal ferramenta no meio digital. Podemos utilizar a nossa penetração dentro do consultório para oferecer uma série de outros serviços digitais, ajudando o médico certo, no tempo certo, com a melhor experiência”, completa Lourenço, ao acrescentar que a empresa sempre apostou no médico individual, que até então era esquecido pelo mercado de tecnologia em saúde, mais focado em desenvolver soluções no nível enterprise, para hospitais, laboratórios e operadoras de planos de saúde.

Novos serviços

A ideia da iClinic é aproveitar a sua grande capilaridade e engajamento diário dos usuários em suas plataforma para crescer. A empresa quer combinar o atual modelo de negócio que consiste em uma sólida receita recorrente proveniente do modelo SaaS (Software as a Service) com a oferta de outras soluções para os clientes, como serviços financeiros, educação continuada, distribuição de conteúdo e um marketplace entre o profissional médico e toda a cadeia de saúde.

A entrada do SoftBank acontece depois de uma negociação que se iniciou no final de 2019, e mostra o quanto o mercado de tecnologia em saúde vem se aquecendo. O fundo se junta agora à Filipe Lomonaco, ex-CEO da Estapar e outros investidores do mercado de saúde.

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta