A automação de processos robóticos, representada pela sigla em inglês RPA, é cada vez mais necessária no mundo corporativo, independentemente do tamanho da empresa. Por meio desta tecnologia, muitas tarefas repetitivas, comuns no dia a dia empresarial, como preenchimento de planilhas e formulários, podem ser realizadas por “robôs” (softwares específicos).

De acordo com Ricardo Botega, CEO da Finger Digital, software house que disponibiliza soluções em RPA aos seus clientes, a automação só proporciona vantagens às empresas adeptas deste processo e, ao contrário do que muitos pensam, não reduz o número de empregos disponíveis no mercado.

“A automação não tira o trabalho de ninguém. Na verdade, ela otimiza operações e aumenta a produtividade do colaborador, que deixará de gastar seu tempo com tarefas repetitivas e passará a gastar energia com atividades mais cerebrais”, explicou o empresário.

Ainda segundo Ricardo, há cinco motivos muito claros para que quaisquer empresas automatizem os processos robóticos imediatamente. Confira:

Qualidade dos dados

Seres humanos podem cometer diversas falhas no preenchimento de planilhas, formulários etc. Ao pegar informações de um banco de dados para preencher documentos, há um grande risco de o colaborador errar e comprometer toda a operação. “Quando este serviço repetitivo passa a ser executado por um ‘robô’, a probabilidade de haver um equívoco é bastante minimizada. Sem falar que o processo é feito de uma maneira muito mais rápida”, destacou Ricardo.

Otimização do processo

A automação dos processos robóticos deixa o colaborador mais livre para analisar, com assertividade, dados importantes à empresa. Desta forma, os resultados tendem a ser melhores. “Os funcionários estarão mais dedicados a tarefas que exigem interpretações e reflexões, deixando o trabalho braçal e repetitivo para o software”, argumentou o CEO da Finger Digital.

Redução do custo operacional

O “robô” reduz as chances de haver perdas financeiras para a empresa, pois, com a sua utilização, menos erros serão cometidos em toda a operação. Além disso, o software também diminui o tempo gasto para realizar todo o processo. “Assim, o custo operacional será, sem dúvidas, menor. A equipe vai produzir mais e em um período reduzido, economizando recursos, como energia elétrica, por exemplo”, pontuou Ricardo.

Integração de softwares

Quando uma empresa contrata uma solução de automação, não é necessário instalar ou desinstalar qualquer outro programa, a não ser instalar, justamente, o “robô” recém-adquirido. Ou seja, o cliente não precisa arcar com nenhum custo adicional – somente o do produto/serviço contratado.

Vale ressaltar, também, que o “robô” integra todos os outros softwares utilizados pela empresa, o que permite a transferência de dados entre todos os programas – de forma rápida e assertiva.

Dados protegidos

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) já está em vigor desde 2020, mas as empresas que não obedecerem às normas começarão a ser autuadas, de fato, apenas em agosto deste ano.

Em poucas palavras, a LGPD tem o objetivo de endurecer as penalidades àqueles que forem responsabilizados pelo vazamento de dados sensíveis – nome, RG, CPF, endereço etc. -, sem a permissão do proprietário das informações.

“Quando uma empresa utiliza soluções em RPA, a probabilidade de acontecer tal vazamento de dados, a partir de seu sistema, é muito baixa. Afinal, os colaboradores deixam de transferir dados de maneira manual – o famoso ‘Ctrl C + Ctrl V’. Basta apenas um comando para que essa transferência seja realizada de maneira automatizada, minimizando os riscos de as informações caírem em mãos erradas ou de elas serem usadas de forma indevida”, finalizou Ricardo.

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta