rocket.chat rocket.chat

Publicado em: 10 de agosto, 2021
Endeavor Brasil

Endeavor Brasil

A Endeavor é a rede formada pelas empreendedoras e empreendedores à frente das scale-ups que mais crescem no mundo e que são grandes exemplos para o país.

Astronautas são responsáveis por carregar uma mensagem de esperança para o mundo. Na exploração de um universo infinito, são astronautas que constroem novos referenciais de futuro. E é exatamente isso que Gabriel Engel faz com a Rocket.Chat, a maior plataforma open-source de comunicação. Conheça a história do Empreendedor Endeavor astronauta. 

Para ler ouvindo: Starman – David Bowie


Quarta-feira. 14 de junho de 2021. 9:45 da manhã. 

Começava mais um Painel Internacional de Aprovação para Empreendedoras e Empreendedores Endeavor. 

O que seria um dia de nervosismo para muitos, para Gabriel Engel era dia de provar para o mundo que é possível construir um negócio incrível com diversão. 

E foi exatamente assim que comprovou sua tese: 

rocket.chat endeavor

Em todas as entrevistas com Mentoras e Mentores da nossa rede global, ele entrava vestido de astronauta dizendo:

Agora, foguete tem ré, mas o da Rocket.Chat não!“. 

There’s a starman waiting in the sky

Trecho da música Starman, de David Bowie. Tradução livre: há um homem das estrelas esperando no céu.

Comandante da tripulação da Rocket.Chat, Gabriel se inspira no espaço para construir a maior plataforma open-source de comunicação do mundo. 

Assim como astronautas, que desbravam os mistérios do nosso universo infinito, ele explora as infinitas linhas de código do universo da tecnologia. 

Assim como astronautas, que descobrem novos referenciais para nos ajudar a imaginar o futuro, ele constrói novos referenciais para a próxima geração de empreendedoras e empreendedores ao escalar globalmente uma scale-up brasileira.

Assim como astronautas, que são responsáveis por restaurar a esperança na humanidade, ele é um grande exemplo do que é um empreendedor de alto impacto.

Astronautas vão para lugares onde ninguém jamais foi. Gabriel constrói coisas que ninguém jamais construiu.  

Let all the children boogie

Trecho da música Starman, de David Bowie. Tradução livre: deixe todas as crianças dançarem.

Na infância, Gabriel não queria ser astronauta. Queria ser inventor. 

Mais velho de 11 primos, era ele quem inventava jogos e brincadeiras. Era ele quem montava eletrônicos como brincadeira. 

Também é filho de empreendedores, neto de empreendedor e sobrinho de empreendedor. Empreender sempre foi natural para sua família, como uma herança genética. 

Aos 10, quando teve idade para acompanhar seu pai no trabalho, que tinha uma empresa de software, conheceu um universo completamente novo. Percebeu que poderia inventar coisas no mundo virtual, não só no real. 

Ali nascia um sonho grande: criar uma empresa de tecnologia para continuar suas invenções. 

If we can sparkle he may land tonight

Trecho da música Starman, de David Bowie. Tradução livre: se nós brilharmos ele pode pousar esta noite. 

Como aprendeu a programar pela convivência com outros programadores, acreditava que precisava aprender a empreender. Por isso, ao se formar na escola, em 1998, foi para a UFGRS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul – para cursar administração. 

Foi quando seu pai virou para ele e disse: “quer aprender a empreender? Então vai cuidar da loja de roupas da sua mãe”

Realmente, administrar uma empresa era a pior parte para ele: cuidar de estoque, preencher pilhas e pilhas de papéis, analisar comandas de vendas manualmente. A solução? Criar um software para fazer a parte chata.

Se era para administrar, então eu teria que automatizar com tecnologia. E foi isso que eu fiz. Inclusive, acho que fiz a coisa certa, já que vendemos a loja um tempo depois”, conta.

Vencido o desafio da administração, foi trabalhar com seu pai na criação de um portal agropecuário. Isso foi no início da internet, em 1998, tempo em que ninguém sabia direito como funcionava. 

Sem playbooks, aprendeu a programar em PHP e HTML e liderou o projeto de criação do portal agropecuário. “Criamos do zero. E, de novo, parece que fizemos direito. O Grupo RBS comprou o portal. Segunda empresa da família que eu entro e que teve um bom exit”, relembra. 

Depois disso, decidiu que o próximo desafio era criar uma empresa do zero, fora dos negócios da família. 

Em 2001 fundava, com um amigo da faculdade, a Intelimen, uma empresa focada no desenvolvimento de sites. Foi nessa experiência que ele se aproximou do open source – o código fonte é aberto e, com isso, qualquer pessoa pode estudar, modificar e distribuir o software gratuitamente. 

O projeto open source atraiu atenção de uma empresa de São Francisco, EUA, que se tornou cliente fiel dos empreendedores. “Isso me deixou com uma vontade insaciável de criar uma empresa global. Meu plano era me formar na faculdade e viajar pra fora do Brasil pra abrir uma filial da Intelimen”, conta. 

E foi isso que aconteceu. Em 2003 partia para a Europa para tentar vender projetos para empresas internacionais. Ao mesmo tempo que tinha um emprego fixo como CLT em uma empresa inglesa, bem parecida como a sua, para entender como as coisas funcionavam do outro lado do globo. 

Trabalhando na Ominor como programador, eu aprendi muito. Fui crescendo lá dentro, passei a liderar times e até conversar com clientes. Mas sempre muito transparente com meu chefe e ele, inclusive, contratou a Intelimen para desenvolver alguns projetos”, compartilha.

Porém, foi nesse momento que ele se deparou com um desafio muito comum entre sócios: um queria ter poucos clientes grandes no Brasil, o outro queria ter vários clientes de diferentes tamanhos espalhados pelo mundo. 

Vendeu sua parte e decidiu passar mais tempo na Europa. Ele planejava ficar apenas um ano fora. Ficou oito, o que foi crucial para entender qual seria o seu propósito como empreendedor.

Gabriel queria construir uma empresa brasileira global. Queria provar a qualidade da tecnologia brasileira para o mundo. Queria ser vitrine para que mais empreendedoras e empreendedores aumentassem a régua de ambição.

Porém, antes de embarcar em sua missão empreendedora, passou uns tempos fazendo gestão de produto na Vodafone, uma operadora móvel multinacional. 

Essa experiência foi fundamental para eu entender como as empresas grandes funcionavam. Era o outro lado da moeda de tudo que eu tinha vivido: uma multinacional com dinheiro e burocracias infinitas”, conta. 

Cause he knows it’s all worthwhile

Trecho da música Starman, de David Bowie. Tradução livre: porque ele sabe que tudo vale a pena.

Era hora de começar a empreender. 

Gabriel voltou para o Brasil em 2012 destinado a cumprir o seu propósito. Tinha aprendido muito: como funcionavam empresas de tecnologias globais, startups locais e multinacionais. 

Desde o dia 1, seu negócio era global. “Eu aprendi que empresa global tem que ser global desde o começo. Os primeiros clientes precisam ser internacionais, com isso, o site, os manuais, os processos todos são em inglês”, compartilha.

Gabriel começou conversando com grandes empresas e ouvindo as suas necessidades. Chat para comunicar com todos os stakeholders era a principal demanda. “Todos os chats eram fechados, então decidimos criar o nosso com código aberto para ver no que daria. Abrimos o código e as pessoas começaram a baixar e customizar nosso software”.

O open source foi determinante para se tornarem globais no começo. Isso atraiu fundos de investimento do Vale do Silício, como o New Enterprise Associates, que fez um investimento seed de US$5M. 

Com o passar dos anos, a Rocket.Chat foi crescendo, contratando pessoas pelo mundo, fechando clientes de vários países e chamando a atenção de investidoras e investidores. 

Hoje, seis anos depois de sua fundação, a Rocket.Chat é a maior plataforma open-source de comunicação do planeta. A solução possibilita a comunicação interna e externa com segurança, customização e escalabilidade.

Já são quase 20 milhões de usuários; US$29M aportados com grandes fundos internacionais, como Greycroft, Headline, Monashees, New Enterprise Associates, Valor Capital Group; um time chegando a 150 pessoas espalhadas em +30 países; e clientes mais de 150 países, 77% de todos países no mundo. 

Cada vez mais, Gabriel desbrava o universo infinito em direção ao sonho grande. “Quero que, quando falarem de open source, lembrem da Rocket.Chat. Queremos continuar atraindo clientes que vão desde uma multinacional da Malásia até o Exército Americano. Agora, queremos que a nossa tecnologia impacte a vida de bilhões de pessoas. Queremos ter um capítulo na história da comunicação no mundo”, sonha.

I had to phone someone so I picked on you

Trecho da música Starman, de David Bowie. Tradução livre: eu tinha que ligar para alguém, então escolhi você.

O open source mudou a vida do Gabriel e fez a Rocket.Chat explorar quase todos os países do globo. E foi isso também que o fez se aproximar tanto da Endeavor.

Open source é uma troca de experiência, conhecimento e tecnologia entre pessoas para construir e melhorar um produto. A Endeavor também faz isso: é o open source do empreendedorismo. É uma maneira de crescer empresas”, compartilha.

Em 2018, nossas naves se acoplaram para um voo em conjunto. A Rocket.Chat participou de três edições do Programa Scale-Up Endeavor e conseguiu construir e aprimorar sua máquina de vendas para pequenas, médias e grandes empresas.

Agora, como Empreendedor Endeavor, Gabriel tem o apoio de uma rede global para acelerar ainda mais o sonho grande de explorar o universo infinito e escrever o seu capítulo na história da comunicação do mundo.

Endeavor, para mim, é a experiência. Como empreendedor solo, muitas vezes eu me senti sozinho. Com a Endeavor não me sinto mais. Então, compartilhar desafios e aprender com os outros tem um papel fundamental na minha vida. E também me sinto inspirado em ajudar outras pessoas com o que já superei e aprendi”, conta.

Publicação Original


0 comentário

Deixe uma resposta